Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Área de imprensa > Ipem fiscaliza em Porto Velho produtos de uso infantil na Operação Especial Dia das Crianças
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Ipem fiscaliza em Porto Velho produtos de uso infantil na Operação Especial Dia das Crianças

  • Criado: Sexta, 06 de Outubro de 2017, 11h17
  • Acessos: 42

Na manhã desta sexta-feira (6), seguindo o cronograma nacional de fiscalização do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), os metrologistas do Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem-RO) foram a campo para fiscalizar produtos de uso infantil orientados pelo órgão nacional, passando por três lojas da capital.

Foram fiscalizados 16 carrinhos para transporte de crianças, 21 berços, 662 brinquedos e 28 dispositivos de retenção de crianças – conhecidos como cadeirinhas para o transporte de crianças em veículos. A prioridade observada é o selo de certificação do Inmetro, que deve conter nos produtos, garantindo que estão dentro dos padrões de segurança e qualidade.

Segundo Edvania Benício, metrologista do Ipem-RO, alguns produtos, como o berço (que foi inserido na lista do Inmetro há pouco tempo), ainda estão em prazo de adequação. A partir da data de publicação dos decretos que inserem o produto na lista do Inmetro, fabricantes e lojistas devem ficar atentos.

“Os prazos são estipulados pelo Inmetro através de decretos, e determinam períodos diferentes tanto para o fabricante, quanto para o lojista. Às vezes, o prazo para que o fabricante se adeque com as normas de certificação já até expirou, mas ainda há prazo para que o lojista continue comercializando o que ainda há no estoque dentro, desde que obedeça a data máxima”, explica a metrologista.

Em berços, carrinhos para crianças e cadeirinhas, Edvania orienta que é primordial que o consumidor observe o selo do Inmetro, e pergunte ao vendedor onde está localizado. Já nos brinquedos, além do selo de certificação, é preciso considerar a especificação de faixa etária para a qual o brinquedo é indicado. “É uma questão de segurança, porque há brinquedos que tem peças pequenas, e se por acaso forem entregues a uma criança menor que a idade indicada, pode acontecer algum incidente. Então é melhor prevenir. O nosso trabalho é fiscalizar para que esses produtos estejam em conformidade”, finalizou.  

  Texto e Fotos: Vanessa Farias

 

 

 

registrado em:

Agenda da Autoridade

24 de outubro de 2017

  • Sem compromissos oficiais.
Fim do conteúdo da página